‘Justiça que tarda é Justiça que falha’, diz Dodge

Hoje, na abertura da reunião do Conselho Superior do Ministério Público, a PGR Raquel Dodge falou que amanhã o STF deve concluir um dos seus mais notórios, expressivos e importantes julgamentos.

Lembrou que estará em debate na Corte superior a questão da observância do princípio da presunção de inocência e a validade do duplo grau de jurisdição.

A procuradora-geral da República também criticou o sistema recursal brasileiro que, segundo ela, só atende os “mais afortunados” que podem “pagar advogados caríssimos” para evitar o julgamento final e o cumprimento da pena.

Ela disse que o princípio da presunção de inocência é garantia importante em todos os países, mas que a execução de uma pena após quatro instâncias é exagero que “aniquila o sistema de justiça” porque “uma Justiça que tarda é uma Justiça que falha”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s