Cassação se baseia em ação do MPE

A ação do Ministério Público Eleitoral que deu origem à cassação da prefeita de Santa Cruz, Fernanda Costa, se baseou em informações escritas, encaminhadas à Promotoria Eleitoral por meio do Sistema Pardal da Justiça Eleitoral, que indicavam um passeio custeado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, para a praia de Pirangi, na casa de propriedade de Luiz Antônio Lourenço de Farias e Fernanda Costa Bezerra.

Segundo a denúncia, a candidata ao cargo de prefeita e o deputado Tomba disponibilizaram a casa particular de praia em plena campanha eleitoral, há 20 dias para a votação. No local, teriam distribuído benesses a eleitores, desequilibrando a igualdade entre os candidatos e afetando a liberdade de voto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s