É preciso reconhecer o esforço de Isaura

153820

A professora Isaura Amélia, diretora-geral da Fundação José Augusto, está comemorando a publicação do edital de licitação para reforma do Teatro Lauro Monte Filho, em Mossoró.  Não é sem motivo.

Longe de ser uma unanimidade entre a tão politizada classe artística do estado, Isaura é uma trabalhadora da cultura, dedicada, competente, entusiasta. Ela põe a mão na massa.

Os mais próximos sabem que Isaura é capaz de investir do próprio bolso para ver os projetos saírem do papel.

Sofre com a burocracia, com o trâmite demorado à que ficam submetidos, muitas vezes, os processos administrativos. Principalmente quando há casos em que uma empresa abandona a obra e é preciso dar início a um novo processo de licitação, como ocorreu com o Teatro Lauro Monte Filho.

Por isso, Isaura comemora.

Assim foi com a Cidade da Criança, o Museu Café Filho, a reforma da Biblioteca Câmara Cascudo, que também está saindo do papel, e tantos outros equipamentos importantes que ela tem trabalhado para deixar como legado de sua gestão.

Incorporemos a este legado o cuidado com a produção dos artistas plásticos, com as exposições na Pinacoteca do Estado e nos espaços de cultura pelo interior a fora, mesmo com parcos recursos; com as manifestações populares e os editais para promoção de grupos artísticos locais e quadrilhas juninas; com a publicação de livros; com os corais públicos e a Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão; com os grandes espetáculos, como a Cantata dos Mártires; e programações memoráveis como a do Agosto da Alegria.

Isaura é sinônimo de Cultura e, também por isso, está no seu quarto mandado à frente da FJA. Nesse, que diz ser o último, se dedica a retirar do papel as grandes obras e reformas dos equipamentos.

Ela diz que tem sido uma grande batalha e que queria poder realizar mais.

Eu rebato com uma frase conhecida, que diz: a realização não vem com a conquista dos objetivos traçados, mas sim no caminho percorrido até alcançá-lo.

Isaura tem um belo caminho. Já fez muito, professora.

É preciso reconhecer!

A Cultura do Rio Grande do Norte agradece o seu comprometimento.

Isaura

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s